segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Veja os melhores momentos do clássico entre Corinthians 0 x 0 Palmeiras

Veja os Gols da 38ª rodada do Brasileirão 2011

Vasco 1 x 1 Flamengo



São Paulo 4 x 1 Santos



Botafogo 1 x 1 Fluminense



Internacional 1 x 0 Grêmio



Cruzeiro 6 x 1 Atlético-MG



Atlético-GO 5 x 1 América-MG



Atlético-PR 1 x 0 Coritiba



Bahia 2 x 1 Ceara



Figueirense 1 x 1 Avaí

Corinthians Pentacampeão Brasileiro (1990, 1998, 1999, 2005 e 2011)

 A CRÔNICA

por Carlos Augusto Ferrari e Leandro Canônico
Foi um título com a cara da Fiel: sofrido, brigado e marcado por lágrimas - de alegria e de saudade. A conquista deste domingo, talvez seja exagero, talvez não, começou de madrugada. Com a morte de Sócrates, aos 57 anos, o Corinthians tinha mais um motivo para ganhar o seu quinto título brasileiro. Como se fosse pouco levantar a taça mais importante do país, o time alvinegro ainda tinha que homenagear o Doutor, um dos maiores ídolos de sua história.
Em campo, o Corinthians segurou um difícil empate com o Palmeiras, sem gols. Bastava para ser campeão. Bastou para soltar o grito do bando de loucos. Bastou para um time de operários que brilhou no início do campeonato, quando venceu nove jogos nas dez primeiras rodadas, empatando apenas um.
Foi um título sem heróis, a não ser os anônimos, aqueles que frequentam a arquibancada. Ou será de muitos heróis? De um Sheik muito eficiente e do Imperador de um gol só... deles, que sequer jogaram a última partida. Ou do meia Alex, que saiu do banco algumas vezes para salvar os companheiros? Impossível não citar os gols de Liedson, que jogou grande parte do torneio no sacrifício. Como esquecer o atacante Willian, verdadeiro guerreiro da Fiel? Do goleiro Julio César, contestado e tão importante? De Leandro Castan, Paulo André e, por que não, do barrado capitão Chicão? Mas talvez a maior marca desse time operário esteja nos pés de Paulinho e Ralf, seus melhores jogadores. E volantes...
Willian, Corinthians x Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli/Globoesporte.com)Willian, do Corinthians, disputa com Gerley, do Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli/Globoesporte.com)
Em um campeonato marcado pelo equilíbrio, venceu quem foi mais regular. E muito do mérito corintiano é de Tite. Diante de tantas dificuldades, ele manteve o time na liderança em 27 das 38 rodadas. Mas um título do Timão sem sofrimento parece não ter tanta graça. Talvez por isso o Corinthians tenha levado a disputa até a última rodada. Mas o treinador explodiu de alegria, junto com a torcida, antes do apito final. O Vasco empatou com o Fla, no Rio, e como o jogo terminou antes, era o suficiente para garantir a conquista alvinegra. Foram 71 pontos contra 69 dos vascaínos. Aos palmeirenses, nenhum consolo, já que o time terminou em 11º, com 50 pontos, classificando-se para a Sul-Americana.
jogadores de Corintians e Palmeiras homenageiam Sócrates (Foto: Léo Pinheiro/Agência Estado)Atletas de Corintians e Palmeiras homenageiam
Sócrates (Foto: Léo Pinheiro/Agência Estado)
Os números da campanha corintiana são incontestáveis. Além de ter liderado o torneio por mais tempo, a equipe obteve também a melhor série de resultados na história dos pontos corridos: nove vitórias e um empate nas dez primeiras rodadas. Nem mesmo a crise que viveu no segundo turno foi capaz de atrapalhá-lo. O Timão nunca esteve abaixo do quinto lugar e foi quem obteve o o maior número de triunfos (21) e a defesa menos vazada entre os 20 participantes (36 gols).
Com a conquista, o Corinthians iguala-se ao Flamengo em número de títulos brasileiros (oficialmente, a CBF não considera o Flamengo campeão brasileiro de 1987 - o time carioca ganhou o módulo verde da Copa União) , todos na “era moderna” da competição. Os clubes com as maiores torcidas do país estão abaixo apenas de São Paulo, com seis, e de Palmeiras e Santos, com oito, ambos beneficiados com a unificação dos extintos Torneio Roberto Gomes Pedrosa e Taça Brasil.
Vencer o principal torneio do país tem um sabor especial para Tite. Depois de balançar no cargo em alguns momentos da temporada, o maior título da carreira faz o treinador afastar a desconfiança de uma ala da torcida e assegura a permanência dele em 2012. A missão agora volta a ser acabar com o eterno desejo alvinegro de conquistar a Taça Libertadores.
Quem também se fortalece é o presidente Andrés Sanches, novo chefe de Seleções da CBF. Em um mandato caracterizado pelo aumento de receitas e por contratações badaladas, como Ronaldo, Roberto Carlos e Adriano, o dirigente obtém seu maior triunfo no campo, fechando um ciclo considerado de "redenção" pelos dirigentes – sob a gestão dele, o clube venceu também a Copa do Brasil e o Paulistão de 2009. Ele se afasta do cargo no dia 15 de dezembro, mas deixa seu grupo ainda mais fortalecido para vencer as eleições de fevereiro. Mário Gobbi Filho é o candidato da situação.
Nem a briga generalizada entre os jogadores após Jorge Henrique dar um chute no vácuo, marca registrada de Valdivia, estragou a festa corintiana. João Vítor, do Verdão, e Leandro Castán, do Corinthians, foram expulsos, juntando-se a Valdivia (Palmeiras) e Wallace (Corinthians), que receberam vermelho durante a partida. Com jeito moleque, além de repetir o "drible" do rival, o atacante corintiano ainda falou que estava "retribuindo o carinho" do Valdivia, excluído da partida após falta dura, onde sobrou até cotovelo.
henrique liedson corinthians x palmeiras (Foto: Marcos Ribolli/GLOBOESPORTE.COM)Liedson e Henrique em disputa de bola
Foto: Marcos Ribolli/GLOBOESPORTE.COM)
Corinthians joga mal; Palmeiras dominaAntes de o jogo começar, emoção na despedida a Sócrates. Torcedores e jogadores levantaram o braço direito, imitando o gesto imortalizado pelo Doutor ao comemorar seus gols. Mas a emoção dos mais de 34 mil corintianos que lotaram o Pacaembu logo se transformou em nervosismo para o Timão. A pressão que a equipe tentou impor nos primeiros minutos não surtiu efeito diante de um Palmeiras bem posicionado e paciente. A velocidade aplicada pelos alvinegros foi controlada com faltas simples que impediram qualquer aproximação perigosa. Em cinco minutos, foram cinco infrações e nenhum trabalho para Deola.
A dificuldade em se aproximar da área, gradativamente, enervou o Corinthians. O excesso de passes errados no setor ofensivo deu ao Palmeiras a chance de controlar o jogo. Sem pressa, o time dirigido por Luiz Felipe Scolari apostou em lançamentos pelo alto para tentar surpreender os zagueiros Paulo André e Leandro Castán. Valdivia levou a melhor em boa parte dos lances contra o improvisado volante Wallace, mas ficou aquém do esperado na criação para Luan e Ricardo Bueno. Apenas Marcos Assunção assustou em cobranças de faltas.
Enquanto o Corinthians sofria para se acertar, o Vasco ficou em vantagem contra o Flamengo, no Engenhão, e manteve o sonho de levar a taça para São Januário. O sistema de som do Pacaembu, que vinha anunciando todos os outros resultados da última rodada, ignorou o gol de Diego Souza a pedido da direção corintiana. Os jogadores do Timão desceram aos vestiários sem saber a vantagem do rival na briga pelo título.
Antes de o primeiro tempo acabar, o Corinthians reclamou de um pênalti em lance duvidoso. Willian recebeu passe de Alessandro na área, recebeu um toque do joelho de Henrique e caiu ao trombar com Leandro Amaro. A bola sobrou para Liedson, que finalizou contra um marcador e perdeu boa chance. Os atletas ainda pressionaram o árbitro Wilson Luiz Seneme, que nada marcou.

Valdivia e Wallace expulsos
O Corinthians voltou para o segundo tempo outra vez tentando pressionar. Agora, contudo, teve a ajuda de alguém que poderia desequilibrar do outro lado. Logo aos três minutos, Valdivia cometeu falta violenta sobre Jorge Henrique e foi expulso. Sem o Mago, o Verdão teve problemas para deixar a defesa e acabou permitindo que o Timão segurasse a bola no campo de ataque. Para ajudar, Renato Abreu empatou para o Flamengo. Desta vez, o sistema de som do Pacaembu informou o resultado e colocou fogo na Fiel.
Apesar de melhorar seu desempenho e do incentivo das arquibancadas cada vez maior, o Timão seguiu com problemas para passar pela defesa adversária. Alex foi bem marcado por Márcio Araújo e não conseguiu acionar Liedson.  O Palmeiras só respondia nas faltas com Marcos Assunção. Em uma delas, quase voltou a dar esperança ao Vasco. Fernandão desviou de cabeça e carimbou a trave.
O drama corintiano reapareceu dois minutos mais tarde, quando Wallace cometeu falta violenta em Maikon Leite e também foi expulso. O Verdão chegou a marcar, com Henrique, mas a arbitragem marcava impedimento de Fernandão no início da jogada. Por um instante, o silêncio tomou conta da parte alvinegra do Pacaembu.
A partir dos 40 minutos, perder o título parecia impossível. A festa começou aos poucos nas arquibancadas. Em campo, muita confusão. Jorge Henrique deu o famoso "chute no vácuo", criado por Valdivia, e deu início a um tumulto com João Vitor, que acabou expulso. Outros jogadores foram até a linha de fundo e a briga se generalizou. Tite e o trio de arbitragem tentaram apartar. Com o problema resolvido e o fim do jogo entre Vasco e Flamengo, o Pacaembu explodiu no coro de campeão.

Sócrates morre hoje, veja mais sobre a trajetória do ídolo brasileiro.


04/12/2011 06h32 - Atualizado em 04/12/2011 18h47

Após terceira internação, ex-jogador Sócrates morre em São Paulo 

Ex-atleta não resiste a consequências de um choque séptico sofrido na última quinta-feira e falece na madrugada deste domingo
Por GLOBOESPORTE.COMSão Paulo


O ex-jogador Sócrates Brasileiro Sampaio de Sousa Vieira de Oliveira morreu às 4h30m da madrugada deste domingo, em consequência a um choque séptico, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ele tinha 57 anos e era pai de seis filhos.
O corpo de Sócrates deve chegar por volta de 13h30m deste domingo a Riberão Preto, cidade onde cresceu, para ser velado. O enterro deve ocorrer às 17h no cemitério Bom Pastor.
Sócrates estava internado deste quinta-feira à noite, depois de ter se sentido mal durante o jantar. O quadro clínico dele chegou a apresentar leve melhora neste sábado, graças a um antibiótico mais potente, que fez regredir o quadro de infecção intestinal. Mas os médicos já vinham alertando que o caso dele era grave. Sócrates estava sedado na UTI, respirando por aparelhos e passando por tratamento dialítico, que consiste na remoção do excesso de líquidos e substâncias prejudiciais acumuladas no organismo do paciente renal crônico. A expectativa era que ele permanecesse em observação por pelo menos 72 horas.
O ex-jogador foi internado na noite de quinta-feira com uma infecção intestinal causada por uma bactéria. Ele começou a se sentir mal depois de comer estrogonofe no jantar. Não foi confirmado pelos médicos, porém, que tenha sido essa a causa da internação.
Esta tinha sido a terceira internação de Sócrates nos últimos quatro meses. As duas internações anteriores foram para tratar de uma hemorragia digestiva, causada pelo consumo prolongado de álcool.
A última internação havia sido em setembro. Foram 17 dias no hospital. Com o fígado comprometido, a expectativa na época era de que ele precisaria se reabilitar em casa, seguindo uma dieta rigorosa, para entrar na fila por um transplante. Para isso, porém, era preciso que seu quadro clínico ficasse estável por alguns meses.
A primeira vez que ele foi hospitalizado ocorreu no dia 19 de agosto, quando sofreu uma hemorragia digestiva alta. Na ocasião, ele recebeu alta após nove dias.
Sócrates começou a carreira de jogador no Botafogo, de Ribeirão Preto, foi contratado pelo Corinthians no fim da década de 70 e vendido para Fiorentina, da Itália, nos anos 80. Também jogou no Flamengo e no Santos e pela Seleção Brasileira.

domingo, 20 de novembro de 2011

Veja os gols de COR X CAM, CRU X CAP e BOT X INT

CORINTHIANS 2 X 1 ATLÉTICO-MG



BOTAFOGO 1 X 2 INTERNACIONAL




CRUZEIRO 1 X 1 ATLÉTICO-PR




ATLÉTICO-GO 0 X 0 FLAMENGO (SEM VÍDEO)

COM GOL DE ADRIANO, CORINTHIANS VENCE DE VIRADA E SEGUE LÍDER DO BRASILEIRÃO

ADRIANO MARCA, TIMÃO VIRA SOBRE O GALO E RETOMA A PONTA DO BRASILEIRÃO

globoesporte.com

A CRÔNICA
por Leandro Canônico
A República Popular do Corinthians virou Império neste domingo. Graças a um gol salvador de Adriano, aos 43 minutos do segundo tempo, o Timão venceu o Atlético-MG por 2 a 1, de virada, e ficou ainda mais perto do título do Campeonato Brasileiro. Foi o primeiro gol do Imperador com a camisa alvinegra.
O jogo estava perdido até os 32 minutos da etapa final, quando Liedson, enfim, fez valer a pressão que o Corinthians exerceu durante a partida inteira sobre um retraído Atlético-MG, que abriu o marcador em jogada ensaiada. No fim, valeu a raça, a determinação e a estrela de um jogador que carrega nuvem de desconfiança sobre ele.
Com o triunfo, o líder Timão mantém dois pontos de vantagem sobre o vice-líder Vasco (67 a 65) e pode ser campeão já na próxima rodada. O Atlético-MG, que com vitória ou empate escaparia de vez do rebaixamento, continua com 42 pontos e ainda corre o risco de cair para a Segunda Divisão em 2012.
André Atlético-MG x Corinthians (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)
O próximo jogo do Corinthians é contra o Figueirense, domingo, em Florianópolis. O time catarinense está firme na briga por uma vaga na Libertadores. Já o Atlético-MG recebe na Arena do Jacaré o Botafogo, que também sonha com classificação para a Libertadores.
Posse de bola = poucas chances
Muita posse de bola (64%) e poucas chances. Esse foi o resumo do Corinthians no primeiro tempo do duelo com o Atlético-MG. Embora tenha tido o domínio da partida, o Timão pecou na hora de finalizar. Desperdiçou muitas faltas na barreira, chutou longe do gol e sentiu a falta de um centroavante – Liedson pouco fez.
Fora os três primeiros minutos, nos quais pressionou o rival no campo de defesa, o Atlético-MG deixou bem clara a sua postura: marcar, marcar e marcar. Não à toa, ao final da etapa inicial, a equipe de Cuca já somava 25 desarmes. Apesar de não ter criado quase nada, dentro de sua proposta o Galo obteve sucesso.
Com marcação individual de Pierre em Danilo e de Carlos César em Paulinho, o Atlético-MG inibiu duas importantes peças do Timão. O destaque corintiano nos primeiros 45 minutos, então, foi Willian. O atacante estava pilhado. Ajudou a defesa quando preciso, não poupou carrinhos, mas finalizou pouco (e mal!).
Jogadores do Atlético-MG comemoram gol (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Jogadores do Galo comemoram gol de Leonardo
Silva (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)
Sem conseguir driblar a boa marcação dos mineiros, o Corinthians tentou algumas vezes em cobranças de falta. Só que o Timão parece precisar de mais treinamentos de bola parada. O goleiro Renan Ribeiro não teve trabalho em nenhuma delas. Pior ainda: o defensor só teve real trabalho em cabeçada contra de Serginho.
Do outro lado, Julio Cesar também viu o primeiro tempo de camarote. À exceção de alguns poucos lampejos do Galo, nenhum deles muito perigoso, o goleiro corintiano não teve trabalho. Não poderia ser diferente, diante da postura defensiva adotada pelo Atlético-MG no jogo deste domingo no Pacaembu.
Imperador salva
As duas equipes voltaram sem alterações para a segunda etapa. E o Corinthians, soberano no primeiro tempo, foi logo para cima do Atlético-MG. Novamente com o “pilhado” Willian. O atacante girou na direita e bateu de fora da área. A bola passou bem perto do gol de Renan Ribeiro, que olhou e torceu para ir pela linha de fundo.
A impaciência tomou conta cedo da torcida do Timão, que aos nove minutos, depois de um erro de Danilo, pediu a entrada de Alex. Enquanto comemorava que Tite havia chamado o meia para entrar, uma ducha de água fria foi jogada na Fiel: gol do Atlético-MG, aos dez minutos.
Liedson faz gol do Corinthians (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Liedson faz gol do empate do Corinthians
(Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)
Em jogada ensaiada, Bernard acionou Richarlyson. O lateral tocou para Daniel Carvalho fazer o cruzamento na cabeça de Leonardo Silva, autor do gol. Irritada, então, a torcida do Corinthians vaiou a saída de Danilo. E se irritou mais ainda aos 22 minutos, quando Tite tirou Willian para entrada de Adriano.
Ainda dono de melhor posse de bola, o Timão partiu para pressão em cima do Galo, cada vez mais com postura defensiva. Aos 23 minutos, Renan Ribeiro fez uma linda defesa em bonito chute de Alex e evitou o empate. Mas a pressão do Timão seguia. E o nervosismo aumentava a cada minuto e a cada cera dos mineiros.
Sem força na criação, o Atlético-MG tentou esfriar a pressão dos donos da casa com “cai cai” e alterações. Mas não teve sucesso. O Corinthians não desistiu e empatou a partida aos 32 minutos. E na jogada mais feita no jogo: após cruzamento na área, Liedson completou de cabeça, empatando o jogo. O resultado já recolocava o Timão na liderança do Brasileirão.
Mas a Fiel queria mais. E a virada veio, de forma espetacular: aos 43, Emerson deu uma arrancada de 43 metros no contra-ataque e serviu Adriano, que invadiu a área e bateu cruzado, de esquerda, sem chance para o goleiro Renan Ribeiro. Foi o primeiro gol do Imperador pelo Timão. E justamente num momento crucial do Brasileirão. Coisa de quem tem estrela.

FLA 0 x 0 AGO, BOT 1 X 2 INT e CRU 1 X 1 CAP, veja as crônicas do globoesporte.com

EM JOGO SEM CLIMA DE DECISÃO, FLA E ATLÉTICO-GO EMPATAM EM 0 A 0

A CRÔNICA
por Richard Souza globoesporte.com
O título ficou para trás, e a vaga na Libertadores está sob risco. O Flamengo não para de tropeçar nas próprias pernas na reta final do Campeonato Brasileiro. Neste domingo, o time de Vanderlei Luxemburgo teve apoio quase que total no Serra Dourada, mas repetiu a atuação ruim da última quinta-feira, contra o Figueirense. Em novo empate sem gols, desta vez contra o Atlético-GO, gritos de “burro” e “time sem vergonha” foram ouvidos pelo treinador e pelos jogadores na saída de campo. Com 57 pontos, a equipe continua fora do G-5, em sexto. Pior: a duas rodadas do fim, parece sem forças para reagir.
Melhor durante quase toda a partida, o Dragão teve as chances mais claras, mas pecou na hora de decidir. Em casa, foi visitante, mas não se importou. O técnico Hélio dos Anjos soube proteger bem a defesa sem deixar de atacar. Com 44 pontos, o clube garante a permanência na Primeira Divisão. Em 12º, agora vai tentar se manter na zona de classificação para a Copa Sul-Americana.
Pelas circunstâncias do jogo, o empate em 0 a 0 no Serra Dourada merece ser até comemorado pelos rubro-negros cariocas. Um detalhe chama atenção: foi o terceiro jogo seguido sem gol do Flamengo.
Com o resultado, o time de Vanderlei Luxemburgo está na sexta colocação. O Atlético-GO é o 12º e escapou do rebaixamento. Na próxima rodada, o Flamengo enfrenta o Inter, às 17h, em Macaé. Um confronto direto na luta pela vaga na Libertadores, já que os dois times estão com 57 pontos.  O Atlético-GO pega o Grêmio, no mesmo horário, no Olímpico.

INTER VENCE BOTAFOGO NO ENEGENHÃO E ENTRA NO G-5

A CRÔNICA
por Eduardo Cecconi
Em grande jogo disputado na tarde deste domingo, no Engenhão, o Inter confirmou a boa fase e venceu o Botafogo por 2 a 1, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. Leandro Damião e Oscar, destaques da partida, fizeram os gols colorados. Felipe Menezes descontou, e ao fim o goleiro Muriel e os zagueiros Bolívar e Rodrigo Moledo salvaram os visitantes bloqueando a pressão botafoguense.

Na penúltima rodada, Botafogo e Inter têm compromissos marcados para as 17h (de Brasília) do próximo domingo. Os gaúchos voltam ao Rio de Janeiro, desta vez para enfrentar o Flamengo, e em Minas Gerais o Botafogo visita o Atlético-MG.
Com a vitória, o Inter sobe para 57 pontos, chegando à quinta posição, fechando o grupo que hoje estaria classificado à Taça Libertadores a duas rodadas do fim da competição. Já o Botafogo, que perdeu a quarta partida consecutiva (já são cinco derrotas em seis jogos) segue estacionado nos 55, agora em oitavo lugar.
Leandro Damião gol Internacional (Foto: Futura Press)Leandro Damião comemora o primeiro gol da vitória colorada no Engenhão (Foto: Futura Press)

CRUZEIRO E ATLÉTICO - PR EMPATAM E SEGUEM MUITO AMEAÇADOS PELO Z-4

A CRÔNICA
por Fernando Martins e Leonardo Simonini
Em um duelo de pouca qualidade técnica, Cruzeiro e Atlético-PR empataram por 1 a 1, neste domingo, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Os gols foram marcados por Marcinho e Charles, ambos no primeiro tempo. Mas o time paranaense foi prejudicado no final da partida. O auxiliar Marcelo Bertanha Barison anulou, erradamente, um gol de Paulo Baier ao assinalar impedimento aos 38 minutos do segundo tempo.

Charles Cruzeiro Guerron Atlético-PR (Foto: Washington Alves / VIPCOMM)Empate na Arena complica a vida dos dois times no Brasileirão (Foto: Washington Alves / VIPCOMM)