domingo, 24 de janeiro de 2016

Campeões Históricos: Pôster Uruguai Bicampeão Mundial 1950

Após a Segunda Guerra Mundial num hiato de doze anos, a Copa do Mundo volta a ser disputada no Brasil. Com um estádio tido como o maior do mundo na época, o Maracanã foi palco de várias estrelas que desfilaram na competição. Houve novamente uma grande desistência de equipes participantes (também ocorrido no Uruguai 1930), principalmente de europeus, já que muitos não se dispuseram a fazer uma longa viagem de navio. Com isso, o mundial teve treze escretes: seis europeus, cinco sul-americanos e dois da zona da Concacaf (México e EUA).
O formato foi diferente dos torneios pré-guerra. Os treze selecionados foram divididos em grupos na primeira fase. O grupo 1 contou com Brasil, Iugoslávia, México e Suíça. O Brasil venceu os mexicanos por 4 a 0, empatou em 2 a 2 com a Suíça e venceu os iugoslavos por 2 a 0. A seleção brasileira se classificou para a fase final, já que foi o primeiro do grupo com cinco pontos.


No grupo 2 tinha as seleções do Chile, Espanha, EUA e Inglaterra. Foi nessa chave que houve, se não a maior, uma das maiores zebras em Copas do Mundo. Os Estados Unidos bateram a seleção inglesa pelo placar mínimo, algo inesperado, já que os norte-americanos tinham pouca expressão futebolística e a Inglaterra era uma das potências. Os espanhóis se classificaram para a próxima fase.
Já o grupo 3 contou com apenas três seleções: Itália, Paraguai e Suécia (a classificada do grupo). Por fim, o grupo 4 teve apenas dois times e somente uma partida. O Uruguai bateu a Bolívia por 8 a 0 e se classificou.
A fase final da Copa na verdade era uma quadrangular do título. Quem fizesse mais ponto era o campeão mundial. No dia 09 de julho o Brasil goleou a Suécia por 7 a 1 (placar que hoje nos assusta), grande destaque para Ademir, goleador brasileiro com quatro tentos e o Uruguai ficou no empate, 2 a 2 com a Espanha.  Na segunda rodada o escrete brasileiro aplicou outra goleada: 6 a 1 no time espanhol. Os uruguaios venceram a Suécia por 3 a 2.
Com duas goleadas na fase final, a grande maioria da nação anfitriã entrou no clima de oba-oba. Jornais às vésperas do jogo decisivo contra a celeste olímpica já taxavam o Brasil como campeão do mundo. Isso com certeza motivou ainda mais os uruguaios. No dia da grande final, um domingo, 16 de julho, houve o jogo Suécia 3 x 1 Espanha, que definiu o terceiro lugar para os suecos. Mas, o que interessava mesmo era a partida do Maracanã. Estádio lotado, todos esperando ver o título brasileiro. Discursos políticos antes da partida, e com isso a pressão aumentava no bom time brasileiro. Só que esqueceram de avisar os uruguaios.
O Brasil saiu na frente com Friaça aos dois minutos do segundo tempo. Aí todos os torcedores davam como certo o título. Mas, com o brio aflorado, a seleção celeste empatou aos 35 com Schiaffino. Até aí o título ainda era brasileiro. Porém, dois minutos depois, Ghiggia acabava com a festa. Ao soar do apito do árbitro, o Maracanã ficou em total silêncio. Deu Maracanazo. Deu Uruguai bi mundial.
Esta foi a melhor participação brasileira até então, tendo o artilheiro da competição (Ademir com nove gols), o melhor ataque com 22 gols e o vice-campeonato mundial inédito. Mas, se hoje não dão importância para o segundo lugar em nosso país, naquela época não era diferente. Os bravos jogadores brasileiros foram condenados e perseguidos injustamente pela derrota final (aliás a única desse mundial). O saudoso goleiro Barbosa disse em vida: "A condenação máxima no Brasil é de 30 anos. Estou pagando quase 50".
Parabéns Uruguai Bicampeão Mundial 1950. Veja o pôster com os campeões!

Curta: www.facebook.com/postercampeao

Nenhum comentário:

Postar um comentário